quinta-feira, julho 11A NOTÍCIA QUE INTERESSA
Shadow

Exportações totais de carne bovina em maio têm queda de 11% nos preços, mas sobem 11% no volume

Please enter banners and links.

Pelo quarto mês consecutivo, as exportações totais de carne bovina em maio apresentaram queda na receita (-11%), embora tenha se recuperado no volume (+11%) –
Exportações totais de carne bovina em maio têm queda de 11% nos preços, mas sobem 11% no volume

No total, o faturamento atingiu US$ 965,2 milhões contra US$ 1,086 bilhão em maio do ano passado. A movimentação foi de 200.849 toneladas frente a 180.387 toneladas em maio de 2022. O preço médio de maio de 2022 foi de US$ 6.030 por tonelada e o de maio de 2023 alcançou US$ 4.805 por tonelada. As informações são da Associação Brasileira de Frigoríficos (ABRAFRIGO), que compilou os dados da Secretaria de Comércio Exterior (SECEX), do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

Segundo a ABRAFRIGO, no acumulado ano, as exportações totais proporcionaram uma receita de US$ 3,847 bilhões para uma movimentação de 840.419 toneladas, com quedas de 24% na receita e de 8% no volume, em relação ao mesmo período do ano passado, com US$ 5,086 bilhões e 909.362 toneladas, respectivamente. Nestes primeiros cinco meses de 2023, o preço médio obtido por tonelada foi de US$ 4.578. No ano passado, até maio, o preço médio foi de US$ 5.593.PauseUnmuteCurrent Time 0:09/Duration 0:30Loaded: 100.00%Fullscreen

A China continua absorvendo a maior parte da exportação brasileira de carne bovina. Em maio, o país importou 112.338 toneladas do produto, frente a apenas 40.909 toneladas em abril passado. Nos primeiros cinco meses do ano, as importações chinesas alcançaram 381.447 toneladas (45,4% do total) e a receita US$ 1,911 bilhão (49,7% do total). No ano passado, no mesmo período, as exportações apresentaram uma receita de US$ 2,922 bilhões e movimentação de 440.043 toneladas, sem os efeitos da suspensão das compras devido a confirmação do caso atípico de EBB (“vaca louca”).https://4ab110a4fe3eae1fb5183eb1a643a7e8.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-40/html/container.html

Os Estados Unidos continuam em segundo lugar na lista dos 20 maiores clientes do Brasil. Nos primeiros cinco meses do ano compraram 93.307 toneladas, frente a 90.597 toneladas até maio do ano passado (+ 3%), com receita de US$ 413 milhões (queda de 17,3%, frente a US$ 499 milhões até maio de 2022). O Chile ficou em terceiro lugar, com compras de 30.874 toneladas em 2022 e de 34.447 em 2023 (+ 11,6%). Em quarto lugar, o Egito importou 38.579 toneladas neste ano, contra 66.813 toneladas no ano passado (-42,3%). Hong Kong ficou na quinta posição, ampliando suas aquisições de 41.424 toneladas para 43.437 toneladas. Os Emirados Árabes ficaram na sexta posição, com importações de 21.697 toneladas em 2022 e de 22.837 toneladas em 2023 (+ 5,3%). No total, 71 países aumentaram suas importações nos cinco primeiros meses de 2023, enquanto outros 80 diminuíram.

Fonte: Assessoria de Imprensa ABRAFRIGO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp
Enviar um WhatsApp para a redação
%d blogueiros gostam disto: