sábado, setembro 18A NOTÍCIA QUE INTERESSA
Shadow

OPINIÃO

China: uma aberração econômica keynesiana e mercantilista

China: uma aberração econômica keynesiana e mercantilista

OPINIÃO
Per Bylund - O modelo econômico concentra privilégios àqueles ligados ao governo - Evolução das ações da Evergrande na bolsa de Hong Kong. O roteiro é o mesmo de toda bolha imobiliária estimulada pelo governo: juros artificialmente baixos (controlados pelo estado) fizeram com que várias pessoas se endividassem para comprar imóveis.  Ato contínuo, a incorporadora saiu construindo prédios a rodo. Com o tempo, as pessoas se deram conta de que não conseguiriam honrar suas dívidas e começaram a dar calotes. O mercado imobiliário desaqueceu.  Consequentemente, os prédios construídos pela Evergrande desabaram em valor de mercado, ao mesmo tempo em que os custos de construção aumentaram, devido à grande demanda por materiais. O passivo da empresa (dívid...
A histórica negligência brasileira ao modal ferroviário — e a solução atual

A histórica negligência brasileira ao modal ferroviário — e a solução atual

OPINIÃO
Luan Sperandio e João Rodrigues - Dependência do transporte rodoviário é fruto de erros políticos desde a década de 1920 - Ameaças de greve de caminhoneiros são uma constante que expõem a dependência brasileira do modal rodoviário. A greve de 2018 deixou um prejuízo estimado em até 75 bilhões de reais.  No entanto, as poucas cidades em que o transporte de combustíveis é feito com linhas férreas sofreram muito menos os efeitos do movimento. Nem chegou a faltar gasolina nos postos desta cidades. O modal ferroviário foi completamente negligenciado no Brasil a partir da década de 1920. Não significa que, a despeito da priorização governamental, as rodovias – responsáveis por 60% do que é transportado no país e 75% da produção nacional que é esc...
Todos foram partícipes de algum modo.

Todos foram partícipes de algum modo.

OPINIÃO
Engana-se quem pensa que há só um culpado os anos a fio de bandalheiras, corrupção e desmandos no Brasil. Arquitetado é posto em execução apenas por um dos poderes da República. Seria impossível o Executivo fazê-lo sem o apoio e participação do Legislativo, como já sabemos nos escândalos do mensalão e petrolão, que quase levou a falência a maior estatal nacional. E muito menos improvável sem a leniência e a conivência do Judiciário. O que ficou escancarando, após a derrubada da prisão em segunda instância; a imprestabilidade de todas ações da operação Lava Jato em Curitiba, com todas suas provas, delações premiadas, acordos de leniência de empresas envolvidas e a devolução de bilhões aos cofres do horário público, mas de que nada valem, por uma manobra jurídica no mínimo contestável e...
Sete perguntas

Sete perguntas

OPINIÃO
Percival Puggina - “Os cidadãos têm direitos individuais independentes de toda autoridade social ou política, e a autoridade que os viola torna-se ilegítima”. (Benjamin Constant, filósofo e político francês de quem os ministros do STF certamente ouviram falar nos cursos que tenham feito).  No dia 7 de setembro de 1822, o Brasil proclamou sua independência de Portugal porque as Cortes Extraordinárias da Nação Portuguesa planejavam reduzir o Brasil à condição de colônia para prover riqueza e rendas à metrópole empobrecida e degradar a dignidade e a liberdade dos brasileiros. No dia 7 de setembro de 2021, a maior mobilização popular da nossa história, pacífica e ordeira, proclamou ao sol e à chuva, aos ventos e às calmarias, seu desejo de liberdade de opinião, expressão e ...
Marco Temporal é fundamental para o crescimento do país

Marco Temporal é fundamental para o crescimento do país

OPINIÃO
Por Glauber Silveira - A legislação brasileira busca proteger os índios, garantindo-lhes o direito às suas terras de origem, onde vivem e onde enterraram seus ancestrais. A Constituição Federal reconhece o direito às terras tradicionalmente ocupadas por eles de forma definitiva. Até aí tudo certo. O que a meu ver está errado é a extrapolação deste direito, sem limites. Se formos pela vontade insaciável da FUNAI, daqui a alguns anos, no Brasil, ficarão somente os índios, afinal eles já reivindicam 28% do Brasil. O Supremo Tribunal Federal (STF) está julgando a instituição ou não do Marco Temporal na questão da demarcação de novas reservas indígenas, o julgamento da demarcação de terras indígenas após a leitura do relatório do ministro Luiz Edson Fachin, que se manifestou contrário à ...
O totalitarismo faz o que quer e pede silêncio.

O totalitarismo faz o que quer e pede silêncio.

OPINIÃO
Percival Puggina - Se há algo realmente ruidoso e organizado, nestes dias, é o trabalho dos gestores da crise institucional no sentido de desestimular a manifestação prevista para o dia 7 de setembro. Da população, só o silêncio lhes interessa. O totalitarismo absorve os sentimentos, as reflexões e opiniões divergentes como uma espécie de buraco negro, desses existentes no universo atraindo o seu entorno. Outro dia, um canal de TV se manifestava preocupado com o custo e a origem dos recursos financeiros envolvidos em eventos com a magnitude do previsto para o dia 7. O “Inquérito do fim do mundo”, aliás, cumpre ordens emanadas da mesma curiosidade. Fiquei pensando no custo das horas de rádio e TV, nas toneladas de papel de jornal, nos salários da multidão de profissionais de com...
Eis o responsável pela disparada dos combustíveis: o BC e sua política ultra-keynesiana

Eis o responsável pela disparada dos combustíveis: o BC e sua política ultra-keynesiana

OPINIÃO
* Leandro Roque - Não há nenhuma escassez de petróleo no mundo. E isso é fácil de provar.  Se houvesse escassez de petróleo, o preço do barril em dólares ou mesmo em franco suíço (a moeda mais estável do mundo) estaria na máxima histórica. No entanto, eis a evolução do preço do barril do tipo Brent em dólares: Gráfico 1: evolução do preço, em dólares, do barril de petróleo do tipo Brent Para a comparação ficar completa, eis a evolução do preço do barril do tipo Brent em francos suíços: Gráfico 2: evolução do preço, em francos suíços, do barril de petróleo do tipo Brent Repare que, tanto em dólar quanto em franco suíços, o preço do barril de petróleo está muito longe das máximas. Com efeito, em dólar, o barril custa o mesmo que custava em 2005. Já em franco...
Na censura às supostas “fake news”, a maior vítima é a responsabilidade individual

Na censura às supostas “fake news”, a maior vítima é a responsabilidade individual

OPINIÃO
Brittany Hunter - Somente o indivíduo é o responsável por seu consumo de informações - Antes de falar sobre "fake news" e a maneira correta de combatê-las, é imprescindível falar sobre liberdade de expressão e seus limites.  Sejamos diretos: a liberdade de expressão não se aplica à propriedade privada alheia. Uma pessoa tem "liberdade de expressão" apenas em sua própria propriedade ou na propriedade de alguém que concordou voluntariamente em lhe conceder o espaço determinado. Logo, não existe isso de "direito à liberdade de expressão" nas redes sociais; existem apenas direitos de propriedade. Você pode falar o que quiser em sua propriedade, mas não na propriedade alheia. Consequentemente, se uma determinada plataforma ou rede social (que são instituições p...
Para que serve a liberdade de expressão – e quais os seus limites

Para que serve a liberdade de expressão – e quais os seus limites

OPINIÃO
*Hélio Beltrão - O único controle da mídia necessário é o controle remoto; não gostou, troque o programa - Assisti ao famigerado especial de Natal do site Porta dos Fundos: algumas boas piadas avulsas ao largo de um enredo centrado em achincalhar Jesus Cristo, a Virgem Maria e Deus, que figura como um sujeito asqueroso e despudorado.  A despeito do material ofensivo a muitos cristãos, não pode ser censurado. Afinal, para que serve a liberdade de expressão? Quando pode e quando não pode Quando um indivíduo se expressa livremente, ele materializa seu pensamento, sentimento, emoções, dúvidas, crenças etc. — trata-se de seu direito intrínseco, garantido pelo simples fato de ele existir e ser o proprietário de suas cordas vocais, membros e cérebro...
A irrefreável ascensão dos intolerantes: é lícito punir alguém pelo “crime” de proferir palavras?

A irrefreável ascensão dos intolerantes: é lícito punir alguém pelo “crime” de proferir palavras?

OPINIÃO
Gustavo Guimarães - Somente o indivíduo é o responsável por seu consumo de informações - Primeiro começaram dizendo que tudo o que outro lado dizia era "fake news". Pediram censura. Aplaudiram quando Facebook, Twitter, Instagram e YouTube tiraram do ar perfis e páginas "ofensivas" e "difusoras de fake news". Sempre alegavam se tratar de "fake news" quando as coisas ditas lhes eram desfavoráveis. E quase sempre pediam censura. Então entrou em cena a mídia convencional dizendo-se a única fonte confiável de notícias, pedindo aos leitores que ignorassem as "inconfiáveis" redes sociais e recorressem somente a ela (grande mídia) caso quisessem saber "a verdade". Em seguida surgiu o STF e simplesmente mandou confiscar a propriedade de qualquer pessoa que critica...
WhatsApp
Enviar um WhatsApp para a redação