segunda-feira, julho 15A NOTÍCIA QUE INTERESSA
Shadow

Tag: Opinião

O Empoderamento das Mulheres no Empreendedorismo: Desafios e Conquistas em MT

O Empoderamento das Mulheres no Empreendedorismo: Desafios e Conquistas em MT

OPINIÃO
Virginia Mendes - Primeira-dama de MT, Virginia Mendes Crédito - Jana Pessôa A reflexão deste artigo é a data celebrada em 19 de novembro, 'Dia do Empreendedorismo Feminino'. No cenário econômico contemporâneo, a crescente presença e influência das mulheres no empreendedorismo têm se tornado cada vez mais significativas. Em nosso Estado, essa realidade não é diferente, com mulheres empreendedoras alcançando feitos notáveis, enfrentando desafios e deixando um impacto marcante na economia e na comunidade local. Sou Virginia Mendes, mulher, mãe, esposa, economista, empresária, primeira-dama de MT e voluntária na gestão do governador Mauro Mendes, tenho direcionado minhas energias ao fortalecimento da mulher por meio de programas sociais, como o SER Família Capacita, e da parceri...
COP 28: Uma oportunidade de boas iniciativas em favor do clima

COP 28: Uma oportunidade de boas iniciativas em favor do clima

OPINIÃO
De acordo com o coordenador-geral de Ciência do Clima do MCTI, Márcio Rojas, alguns dos impactos mais intensos da mudança do clima serão sentidos no Brasil, onde serão mais severos que a média global. O país tem dimensões continentais e parte considerável localizada naregião tropical, as quais aquecem mais que as oceânicas - Referendando a fala do coordenador, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) aponta que, nos últimos 60 anos, algumas regiões no Brasil já apresentam aumento na média das temperaturas máximas de até 3oC. Uma análise do World Weather Attribution, com participação de cientistas brasileiros, apontou que a mudança do clima influenciou a onda de calor que ocorreu no Brasil no fim de agosto e início de setembro (curtlink.com/g3sK), em pleno inverno. De a...
As impressionantes exportações do agro brasileiro

As impressionantes exportações do agro brasileiro

OPINIÃO
O planeta precisa dos itens aqui fabricados e os volumes seguem crescendo, bem como o número de mercados que se abrem - Impressiona a qualquer pessoa acompanhar a performance das exportações do agro brasileiro nos últimos anos. Quando me formei engenheiro agrônomo (na Esalq/USP em 1991), o Brasil tinha uma produção crescente para atender, principalmente, ao mercado interno e ainda importava muitos dos alimentos aqui consumidos. Uma revolução estava pela frente porque este setor foi exposto à competição internacional e teve que lutar contra proteções e subsídios em diversos mercados compradores, gerando grande pressão competitiva, de gestão, inovação, pesquisa e desenvolvimento. Os últimos anos foram incríveis. Em 2020, o Brasil vendia ao mundo cerca de US$ 100 bilhões e, em 2022...
Conectividade Rural para o bem do Brasil e do povo do campo

Conectividade Rural para o bem do Brasil e do povo do campo

OPINIÃO
Todos sabem que a infraestrutura rural no Brasil ainda é bastante precária quanto às necessidades de conexão à Internet - A agricultura moderna praticada em nosso país, que se converteu nas últimas décadas em uma das principais potências agrícolas, exige sem mais demora que os nossos competitivos produtores rurais, desde os tecnologicamente melhor posicionados até aos ainda carentes de infraestrutura produtiva adequada, tenham acesso aos últimos avanços tecnológicos do mundo contemporâneo e, dessa forma, possam usufruir dos seus benefícios, respondendo às exigências de eficiência produtiva, acesso às informações e rapidez nas comunicações. Para que o Brasil consolide a sua posição de liderança no setor agrícola e agroindustrial, que vem sustentando o bom desempenho da nossa econ...
Safra de grãos menor em 2023/24, mas soja deve crescer.

Safra de grãos menor em 2023/24, mas soja deve crescer.

OPINIÃO
Reflexões dos fatos e números do agro em agosto/setembro e o que acompanhar em outubro - Por Prof. Dr. Marcos Fava Neves - Na economia mundial e brasileira, segundo o Boletim Focus do Banco Central do Brasil divulgado em 18 de setembro, espera-se um IPCA de 4,86% (queda mensal) em 2023 e de 3,86% (também queda) em 2024. Para o indicador de crescimento econômico (PIB), é estimada uma recuperação com crescimentos de 2,89% (alta) para este ano e 1,50% (alta) para o próximo. Enquanto isso, a taxa de câmbio deve ficar em patamar próximo de 4,95 (baixa) até o final de 2023 e 5,00 (baixa) ao final de 2024. Já a Selic foi estimada em 11,75 e 9,00, respectivamente, para o ano corrente e o posterior, ambas em manutenção. No agro mundial e brasileiro, o indicador que mede os preços glob...
Psicanalista diz que mundo de tsunami digital requer nova educação

Psicanalista diz que mundo de tsunami digital requer nova educação

OPINIÃO
Tantas transformações fazem com que cidadãos se sintam perdidos - Agência Brasil - A revolução tecnológica é um tsunami que tornou o nosso mundo tão novo, que poderia ser chamado de “Terra Dois”. O “Terra Um”, que conhecíamos, não existe mais. Esse é o conceito do médico psiquiatra e psicanalista brasileiro Jorge Forbes, pesquisador da pós-modernidade e diretor da Clínica de Psicanálise do Centro do Genoma Humano da USP.  Ele diz que tantas transformações fizeram com que os cidadãos se sintam “desbussolados” e perdidos. “Nós não estaremos perdidos se começarmos 'ontem' um projeto de educação para evitar os analfabetos digitais que estamos criando”. Para Forbes, o analfabetismo digital vai provocar diferenças entre grupos maiores do que entre classes sociais. O pesquisado...
Dinheiro na mão do Estado é vendaval

Dinheiro na mão do Estado é vendaval

OPINIÃO
Percival Puggina          São facilmente percebidas as semelhanças entre os governos e administrações petistas no Brasil ao longo dos anos. Algumas dizem respeito a aspectos variados da vida social, como por exemplo: atitude hostil ao combate à criminalidade, desarmamento da população civil, ampliação por tortuosas vias administrativas das hipóteses de aborto, ideologia de gênero, pautas identitárias, aparelhamento das empresas estatais e da administração, leniência com as invasões de propriedade privadas, integração com países socialistas, comunistas e ditaduras. Na área econômica, as semelhanças também são igualmente lesivas. Incluem políticas contrárias a privatizações, aumento do efetivo do funcionalismo e dos cargos políticos, claro. Tudo gerando aument...
Saúde Mental e Alteridade

Saúde Mental e Alteridade

OPINIÃO
André Naves (*) A alteridade é um conceito importante quando falamos sobre saúde mental. Significa enxergar no outro não apenas alguém diferente de nós, mas também alguém que pode contribuir para o nosso próprio crescimento e realização pessoal. É perceber que ao conviver com pessoas diferentes, podemos aprender e nos enriquecer como indivíduos. Quando enxergamos alguém com os olhos da alma, estamos indo além da simples visão física. Estamos reconhecendo o valor humano presente em cada pessoa. Enxergar dessa forma é sentir empatia, é se importar com o outro e valorizar a sua individualidade. É perceber o outro como a chave para o autoenriquecimento. Alteridade é, portanto, se alterar com a experiência da convivência. A diversidade é um conjunto plural de pessoas com característic...
Bajular ditadores não é política externa

Bajular ditadores não é política externa

OPINIÃO
Em 1972, o presidente americano, Richard Nixon, surpreendeu o mundo ao visitar o líder comunista chinês Mao Zedong, um dos ditadores mais cruéis e sanguinários do século 20. A visita marcou o fim de 25 anos de isolamento entre os dois países, consolidou uma aliança tácita contra a União Soviética e pavimentou o caminho para a abertura econômica chinesa que ocorreria a partir de 1979. A viagem de Nixon à China mostra que a política externa é a arte de manter relações não só com países que admiramos, mas também com aqueles que execramos ou com quem temos divergências. Para isso serve a diplomacia, que em tempos de guerra negocia até com inimigos declarados. Por outro lado, o fortalecimento da nossa democracia requer um constante repúdio a ditaduras e a violações de direitos human...
Desigualdade para os desiguais

Desigualdade para os desiguais

OPINIÃO
*Max Russi - Mas, então, por que ainda travamos batalhas duras para promover condições mais igualitárias de vida, acesso a oportunidades e valorização de cultura subjugadas pelo modelo globalizado? Por um instante pode parecer um questionamento “comunista” de enfrentamento ao sistema posto em nossas vidas, mas não é, explico. Vivemos numa nação em que, segundo estudo da FGV em 2021, quase 30% da população tem renda per capita inferior a 500 reais mensais, o que de forma bem clara se traduz pela ausência de condições adequadas de vida. Se 70 milhões de pessoas não têm o mínimo para viver, é obrigação do Estado fazer algo a respeito de forma urgente, tudo isso passa por aplicar os princípios de justiça social e garantir as liberdades fundamentais, forçar um sistema que fomente a igualdad...