segunda-feira, março 4A NOTÍCIA QUE INTERESSA
Shadow

Ritmo de comercialização da safra brasileira 2022/23 de soja volta a perder força

Please enter banners and links.

O ritmo de comercialização de soja da safra brasileira 2022/ 23 voltou a perder força ao longo do mês de maio e nos primeiros dias de junho frente à evolução registrada ao longo de abril –
Ritmo de comercialização da safra brasileira 2022/23 de soja volta a perder força

“A queda dos preços no Brasil novamente retraiu os produtores, que avançaram nas negociações por questões ligadas basicamente à necessidade de fazer caixa frente a obrigações financeiras e de armazenagem devido à chegada da colheita da safrinha de milho no Centro-Oeste e no Sudeste”, explica o analista e consultor de SAFRAS & Mercado, Luiz Fernando Gutierrez Roque.

No lado dos preços, além dos prêmios de exportação ainda pressionados pela grande oferta interna, a queda recente dos contratos futuros em Chicago, que reflete a possibilidade de uma supersafra nos Estados Unidos, aumentou a pressão sobre os preços brasileiros, que voltaram a ter um mês negativo em maio. “Tal fato retraiu ainda mais os produtores, que naturalmente não aceitam preços cada vez mais próximos dos custos de produção”, pondera o consultor.Play Videohttps://imasdk.googleapis.com/js/core/bridge3.578.0_en.html#goog_820087978Advertisement: 0:10

É importante salientar que, de fato, em vários locais do país a margem dos produtores se aproxima do zero, trazendo um ambiente muito diferente do que vimos nos últimos anos. “De qualquer forma, muitos produtores têm a necessidade de avançar nas vendas devido a obrigações financeiras de curto prazo e a liberação de espaço físico de armazenagem para a chegada de uma safrinha de milho que, o que tudo indica, será recorde”, destaca o analista.

“Lembramos que existe uma oferta de soja ainda muito grande no Brasil, e a demora no escoamento dessa superprodução tenda a jogar contra os produtores nos próximos meses, mesmo que tenhamos uma tendência da recuperação dos prêmios no segundo semestre”, adverte o consultor.

Segundo pesquisa realizada por SAFRAS & Mercado, com dados recolhidos até o dia 2 de junho, 56,7% da safra brasileira de soja 2022/23 foram vendidos, com avanço de 5,7 pontos percentuais frente ao percentual do mês anterior (51,0%). O percentual atual equivale a aproximadamente 88,177 milhões de toneladas negociadas, de uma safra atualmente estimada em 155,656 milhões de toneladas. Em mesmo período do ano anterior, o percentual era de 65,9%, enquanto a média das últimas cinco safras para o período é de 73,0%.

Para a nova safra brasileira de soja (2023/ 24), os dados um percentual teórico comercializado de apenas 8,1% de uma produção ainda hipotética (base safra 2022/ 23). Em mesmo período do ano passado, o percentual era de 13,3%. A média das últimas cinco safras para o período é de 17,7%. Para o cálculo atual, utilizamos a base da safra 2022/23, pois a primeira estimativa de SAFRAS & Mercado para a nova safra (2023/ 24) será divulgada em julho, no tradicional relatório de intenção de plantio.

Fonte: Agência SAFRAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

WhatsApp
Enviar um WhatsApp para a redação
%d blogueiros gostam disto: