terça-feira, outubro 20A NOTÍCIA QUE INTERESSA
Shadow

Cuiabá: aulas presenciais em escolas municipais só em junho

Please enter banners and links.

Assessoria –

O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro, decidiu por manter a suspensão das aulas nas unidades municipais de educação. A definição foi estabelecida, nesta terça-feira (12), após debater o assunto com o Ministério Público do Estado de Mato Grosso (MPE-MT). Conforme o chefe do Executivo, a previsão é de que a interrupção da atividades siga até junho. A data de retomada segura e, gradativa, das atividades escolares ainda será anunciada.

Segundo o decreto 7.890, assinado pelo gestor no dia 27 de abril, a retomada gradativa das aulas presenciais na rede pública iniciaria na próxima segunda-feira (18), com o retorno, primeiramente, da educação infantil (alunos de 0 a 3 anos). No entanto, tendo como princípio a preservação da saúde da população, o prefeito optou por adiar a volta. 

“Neste momento não há como pensarmos em voltar a normalidade, pois não estamos em uma normalidade. Estamos diante de um inimigo invisível, perigoso e que ainda não tem cura. Então, todo cuidado é pouco. Por isso, as aulas não retornarão no próximo dia 18. Temos uma parceria muito boa com o Ministério Público, que vem acompanhando essa situação e nos dando respaldo nessas decisões”, explica Pinheiro. 

De acordo com a Secretaria de Educação, a rede municipal atende um total de 54 mil alunos, distribuídos em 164 unidades. Neste período de paralisação, a Prefeitura está ofertando aos estudantes aulas via televisão aberta e atividades pela internet, WhatsApp e mensagem de texto (SMS). As apresentações são exibidas pela TV Mais (17.1), afiliada da TV Cultura.

Além disso, o Município realiza, periodicamente, a entrega de kits da alimentação escolar para 18 mil alunos da rede, cadastrados no Programa Bolsa Família. “A Secretaria de Educação é responsável por entregar os kits nas unidades escolares e, a partir disso, os gestores repassam para os alunos matriculados, sempre respeitando a determinação para evitar aglomeração”, pontua Emanuel. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *